A agronomia nos grandes meios urbanos

A agronomia nunca esteve limitada ao campo, ela está presente nas pequenas coisas

Muitas vezes acabamos não percebendo, mas a agronomia está presente em nosso dia a dia. Curitiba mesmo sendo considerada uma grande cidade, possuí uma extensa diversidade de parques, bosques e praças, além de abrigar pequenas propriedades rurais que trabalham com a produção agrícola.

Segundo a professora Marcia Coelho, responsável pelo Projeto Pedagógico do Curso (PPC) de Engenharia Agronômica do UniBrasil Centro Universitário, a agronomia nunca esteve restrita ao campo, ela sempre foi presente nas cidades e pode ser observada nas pequenas coisas. “A exemplo são os telhados e paredes verdes, um pequeno vaso de flor, ou o cultivo das plantas na sacada de um apartamento”.

O cultivo das hortas espalhadas pela capital também é o exemplo da forte presença agronômica. Manoel Alves da Silva, responsável pela Horta Comunitária do bairro Cajuru, contou sobre a sua experiência em coordenar o local. “Produzimos tudo sem agrotóxicos. A adubação é totalmente orgânica, assim como o controle de pragas e ervas daninhas”, relatou.

De acordo com informações apuradas pela Secretaria Municipal de Abastecimento (SMAB) de Curitiba, atualmente existem 24 hortas comunitárias urbanas que atendem cerca de 800 famílias, beneficiando em torno de 3,9 mil pessoas.

Conforme a professora de Engenharia Agronômica, os princípios de produção em uma propriedade de 5 mil hectares ou em 2 metros é o mesmo, porém o espaço, a utilização de agroquímicos e a produção em comunidade é o principal diferencial.

“Na região urbana você não pode utilizar nenhum tipo de agrotóxicos, e no meio rural sim. Quando você planta em prol da saúde, vê a semente germinar, cuida, você não desperdiça, não estraga, não poluí. Não que os produtores das grandes áreas rurais não tenham essa responsabilidade, eles têm. Mas o espaço de produção é muito maior para ter esse envolvimento. Nas cidades, muitas vezes as pessoas têm isso como uma terapia, lazer, muito além da questão do trabalho de produção”, comentou.

Marcia enfatiza que os resultados positivos da agricultura urbana têm como agente principal o engenheiro agrônomo. “O trabalho deste profissional é crucial para todo o tipo de produção no âmbito da agronomia, pois é a sua especialização que irá trabalhar a seleção de espécies, o melhoramento do solo, do vegetal, a escolha de uma boa tecnologia, bem como toda a manutenção necessária do ambiente”.

GRADUAÇÃO – A docente que irá coordenar o curso de Engenharia Agronômica do UniBrasil no próximo semestre, comentou sobre os diferenciais que serão trabalhados no curso. “A matriz curricular do curso não deixa de lado nenhum dos conceitos da produção agrícola. O acadêmico formado aqui no UniBrasil pode trabalhar nas regiões urbanas (em uma empresa, órgão público, no seu próprio escritório) ou nas áreas rurais (nas grandes fazendas com mais de 10 mil hectares), ele terá uma formação ampla e global”.

Visando uma produção equilibrada e sustentável, a professora responsável pelo Projeto Pedagógico do curso disse ainda que um dos enfoques principais do curso será a agroecologia. “Através das metodologias ativas de aprendizagem com estudos de casos e as demais disciplinas que darão suporte, o aluno do curso de Engenharia Agronômica do UniBrasil estará preparado para atuar tranquilamente nas áreas rurais ou urbanas”.

INOVAÇÕES – A professora Marcia também comentou sobre um método diferenciado de ensino, os módulos integradores. “Do primeiro ao nono semestre teremos uma disciplina chamada módulos integradores, e dentro desses módulos o aluno irá vivenciar os conteúdos de forma diferenciada. Um exemplo são os estudos de casos onde a resolução dos mesmos, através de técnicas específicas como a problematização, incentivará o desenvolvimento contínuo e gradual das competências, habilidades e atitudes primordiais ao profissional da agronomia”, explicou.

Segundo a professora, o estudo de caso é desafiador para os estudantes. “O aluno vê a realidade e é instigado a buscar os fundamentos científicos para aquela situação. Nesse momento o professor é o tutor da aprendizagem e faz com que o acadêmico encontre soluções reais”. Com possibilidade de estudar nos períodos da manhã ou à noite, o curso de Engenharia Agronômica tem duração de cinco anos. E tem como objetivo formar profissionais com visão sistêmica dos diversos níveis da agronomia nos meios rural, urbano e periurbano.

INSTITUIÇÃO – Além da metodologia diferenciada, o UniBrasil oferece aos estudantes cursos de extensão, grupos de pesquisa, visitas técnicas e atividades com profissionais de diferentes áreas da agronomia que irão melhorar a experiência de aprendizagem dos alunos.

SERVIÇO

Vestibular agendado até o dia 10 de agosto.

Provas Agendadas: Terça, quinta e sexta às 9h, 15h e 19h, até o 17 de agosto.

Matrículas abertas até 22 de agosto.

Utilize a sua nota do Enem.

Aceitamos transferências de outras instituições.

Saiba mais em: https://vestibular.unibrasil.com.br/ ou

https://www.unibrasil.com.br/formas-de-ingressar/enem/

Local: UniBrasil – Rua Konrad Adenauer, 442 – Tarumã, Curitiba – PR.

Fone: (41) 3361–4200.

 

Views All Time
Views All Time
57
Views Today
Views Today
4
Facebook Comments